No cenário atual, a quantidade de informação disponível junto aos avanços tecnológicos possibilitam um mundo mais rápido, mais compreensível e consequentemente mais disputado onde, tempo e produtividade são palavras que devem andar juntas com as metas de qualquer profissional. Metas agressivas, equipes dissonantes, clientes exigentes, economia inconstante, conflitos entre áreas; o ritmo do mundo corporativo nos obriga a estarmos preparados para mudanças súbitas e replanejamentos constantes, o que acarreta muitas vezes em um nível de stress elevado, menos qualidade de vida e o declínio da vida social.
A forma de encarar e lidar com os sentimentos resultantes dos problemas e intempéries do trabalho, da vida pessoal e da relação com as pessoas que compõem essa jornada definem o seu nível de Inteligência Emocional, levando em conta sua capacidade de ressonância comunicativa, autogerenciamento, confiança, motivação, negociação e condução de conflitos. Já a capacidade de encarar essas situações combalidas de stress e pressão, definirá o seu nível de Resiliência, que pode ser compreendida como a capacidade de encarar, viver e superar situações impactantes e grave apelo emocional com tenacidade e motivação.
Tanto a Resiliência como a Inteligência Emocional são competências que podem ser trabalhadas e melhoradas em sua escala e magnitude, com práticas simples que podem ser incorporadas na nossa rotina como:
  • Ter senso de equipe: Olhe sempre a sua volta e coloque-se no lugar do outro, tanto do seu superior quanto dos seus liderados; o senso de equipe ajuda a entender os problemas e as cobranças e que o consenso por um único objetivo é mais importante do que o benefício individual de um ou de outro.
  • Encontre tempo para as pessoas: O tempo é curto para todos dentro do projeto, da operação ou da rotina em si, mas não esqueça que o resultado é entregue por pessoas, e este é o principal ativo a ser trabalhado por qualquer empresa ou cargo de liderança, portanto, escute, entenda, coopere e gere sinergia entre as pessoas e entre os diversos níveis hierárquicos, a empatia gera motivação no time e um melhor clima organizacional.
  • Seja Articulado: Saber ponderar o comportamento entre diversos níveis organizacionais e entender as missões da empresa e do cliente são fundamentais para ter uma estratégia não apenas de como chegar ao objetivo e entregar resultados mas também de como fazer isso da melhor forma e com o melhor ambiente.
  • Procure os problemas: Não espere que os problemas cheguem até você ou sua equipe, antecipe-se; estar alguns passos à frente certamente lhe dará maior visão e tempo do que fazer ou que estratégia utilizar em situações de risco.
  • Seja o exemplo: Acredite, sua equipe sabe exatamente o que você faz, fala e planeja; seja a mudança que você deseja e conduza levando em consideração os limites e valores de cada um; se o time é time mesmo, cada um importa, e você tem sua parcela de responsabilidade com todos.
Estar disposto a fazer o melhor e sair do outro lado independente das circunstâncias e das consequências exige mais do que ser um super estudioso ou ter as melhores notas da turma, exige altas doses de Resiliência e Inteligência Emocional, e acredite, as grandes empresas não querem seu boletim; elas querem saber o quanto você aguenta, na prática, comprometer-se, conduzir, liderar, fazer a diferença, estar no topo e manter-se lá.
Em outras palavras, se você é capaz de extrair o melhor de tudo que conduz, gerando sinergia e trazendo resultados, siga em frente, o caminho é este e você pode mais.